Oi maravilhosa, como você está?

Eu espero sinceramente que você esteja feliz e radiante como o sol.

Eu decidi abrir meu coração com você, pois se você sofre ou sofreu com pai ausente como eu esse post pode te ajudar, e esse é meu sincero desejo.

E se você não tem pai ausente, vai tomar um chocolate quente que esse post não é pra você rs…

(então aproveita e se inscreve no meu canal do Youtube, okay?)

Tem certas dores que só quem sente entende, você não acha?

Por mais que as pessoas tentem nos entender, só quem não tem um pai presente sabe a dor que é.

E quando eu digo pai ausente eu me refiro a todos os tipos de pais ausentes: o que foi embora e te abandonou, ou o que casou de novo e nem lembra que você existe, ou o que faleceu, ou ainda aquele que você está sempre em contato, vive junto, mas vocês são mais distantes que a lua e o sol.

Não ter um pai é…

… ter que lembrar todos os dias, principalmente dia dos pais, que você não tem um pai.

… viver na esperança de que ele preencha esse vazio gigantesco que não tem pizza que preencha rs

… ver sua mãe se virando nos 30 pra ser pai, mãe, amiga, astronauta (pra te incentivar a sonhar) e ao mesmo tempo ser agricultora (tentando te manter com os pés no chão).

É sentir que tem um pedaço de história faltando em você.

Em todos esses casos há ausência do amor de pai. Amor daquele herói que imaginamos que iria nos salvar e nos ajudar a curar todas as feridas.

Fiquei chocada ao ver as estatísticas do Conselho Nacional de Justiça outro dia (e o pior é que eram estatísticas de 2011, imagine agora) que mostravam que haviam mais de 5 milhões de crianças sem o nome do pai na certidão de nascimento. E fiquei pensando: “Imagine o número de filhos que tem o pai na certidão, mas que é pai só na certidão!”

E de acordo com o U.S. Census Bureau, 24 milhões de crianças nos Estados Unidos – 1 em cada 3 – tem pais ausentes.

Eu achava que eu era minoria, e é chocante saber que hoje infelizmente é uma realidade mundial: Pais Ausentes! Ou seriam Pais Fantasmas!

Sim, porque acredito que eles atuam em nossas mentes como fantasmas mesmo e ficam ali rondando nossos pensamentos e sempre nos deixando presas a feridas difíceis de cicatrizar.

Essa dor da imaginação de como teria sido SE ele tivesse ali presente é torturante e te deixa presa na areia movediça do sofrimento.

Eu conto um pouco sobre a minha história com meu pai no livro que estou escrevendo sobre eventos da minha vida que me transformaram completamente.

O que gostaria de compartilhar com você agora é que a vida é tão infinitamente maravilhosa que a cada evento que passamos temos a oportunidade de aprender e crescer sempre.

Somos capazes de nos reconstruir, de nos reinventar.

“O vazio esmagador que você sente não é a outra pessoa ser ausente, mas sim sua falta de amor próprio” – Louise Hay

Durante muitos e muitos anos eu culpava meu pai por tudo que desse errado na minha vida. Eu acreditava firmemente que a ausência dele era a causa da minha infelicidade. Que por causa dele eu fui obesa, que por causa dele eu não tinha ‘sorte’ nos relacionamentos, que por causa dele eu tinha o pé chato rs… e por aí ia… a lista é infinita.

Há um momento na vida que precisamos levantar e estufar o peito e decidir: Afinal de contas, até quando vou viver no papel de vítima culpando outra pessoa pela minha infelicidade?

E quando começou minha jornada para aprender a me amar, foi libertador, foi transformador.

Mal eu me dava conta de que usava meu pai como bengala emocional, e talvez você também esteja fazendo isso. Ele está ali e você sempre usa quando quer tirar a responsabilidade de não ser feliz das suas costas, daí você rapidamente aponta pra bengala e diz: “a culpa é do meu pai!”

Temos escolhas a todo momento, e essas escolhas definem quem somos.

Ou você escolhe viver no passado cutucando suas feridas emocionais

Ou você escolhe viver no presente e aprender que saber o por que não vai resolver!

Nesse vídeo eu falo como o “por que” pode mudar sua vida ….

Saber o porquê seu pai não é o pai que você sonhou não vai mudar sua vida, não vai te fazer feliz.

O que vai transformar sua vida completamente é você assumir as rédeas da sua vida e perceber que somente quando você PERDOAR de verdade seu pai, aí sim você se libertará de todo esses sofrimentos que você ACHA que são tudo culpa dele.

Perdoar não é uma tarefa assim tão fácil, mas também não é impossível. Ainda mais pra você que é capaz tudo.

Eu acredito que o perdão só acontece quando decidimos mesmo: Ok, agora eu farei tudo que for preciso fazer para perdoar.

No meu curso eu ensino as técnicas que aprendi e que foram fundamentais para perdoar não só meu pai, mas todas as pessoas que passaram na minha vida que deixaram de alguma forma alguma dor.

É claro que eu não me tornei a super boazinha que perdoa todo mundo, mesmo por que o perdão é um trabalho constante e eterno.

Porém hoje não aponto mais culpados.

A única pessoa que pode ou não me fazer feliz sou eu.

Esse poder eu tenho e não vou deixar nas mãos de ninguém.

E essa decisão você também pode tomar já!

Eu hoje só trago gratidão no meu coração:

Gratidão pela mãe incrível que tenho que me ensinou a amar.

E gratidão pelo meu pai, pois através dele eu aprendi o poder do perdão.

E esses dois sentimentos, o amor e o perdão, me transformaram numa mulher diferente, feliz, aventureira, orgulhosa de minhas raízes, segura de si e livre para voar.

Então flor maravilhosa, eu desejo que nesse dia dos pais você possa dar o primeiro passo em direção a sua felicidade e jogue fora sua bengala emocional, pare de apoiar a sua infelicidade colocando a culpa em alguém.

Você tem o poder dentro de você para criar a vida que você quiser. Quando você mudar seus pensamentos sobre a perda ou a ausência do seu pai, não significa que você não sinta dor ou que não saiba lidar com as emoções, só significa que você não quer ficar presa em pensamentos antigos e corrosivos.

O mais importante é você decidir encontrar sua paz interior e aí sim curará seu coração.

Se você quer encontrar amor, você precisa perguntar a si mesma se está dando tanto amor quanto deseja receber, ou se você espera que as pessoas te amem mais do que você ama a si mesma.

Como a maravilhosa Iyanla Vanzant disse:

“Não perdoe ele! Perdoe você mesmo por acreditar que há algo que falta em você porque ele não estava lá!”

Me conta nos comentários aqui embaixo como você se sente em relação a seu pai, e se você já tentou perdoá-lo. Conta como foi essa experiência.

Vai ser um prazer saber um pouco mais sobre você.

<3

Com amor

Cinthia Sá

♥ Página no Facebook com inspirações e dicas para aprender a amar.
https://www.facebook.com/cinthiasa.hyl/

♥ Artigos exclusivos, gratuitos e de alto valor para mulheres que amam.
http://www.cinthiasa.com.br/blog/

♥ Inscreva-se no Canal: https://goo.gl/J0A0Ep